As lembranças boas que ficam

Há quase uma semana, quando cheguei em Paraty, decidi fazer um longão no final de tarde pela BR. Já fiz um post sobre isso deixando claro o quão péssima foi a ideia de correr na escuridão em uma estrada deserta – algo que facilmente pode ser classificado como uma pura e inquestionável imbecilidade. 

Mas não queria que a imagem da minha própria burrice marcasse Paraty e, nos dias seguintes, saí com o nascer do sol por um percurso bem semelhante. 

E olha só a diferença….

Dá para ficar com raiva de um percurso assim? 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s