Meta da semana: zerar o corpo

Dado o exagero no processo de treinamento, acabei tendo um plano B curioso antes da Ultra Estrada Real: fiz um tapering de 3 semanas, diminuindo volume e intensidade, e agora, faltando duas semanas para a largada, começo justamente a acumular esforço de maneira crescente. É como se esse período pre-prova fosse mais um aquecimento do que um desaquecimento, deixando a musculatura mais “empolgada” do que “descansada”.

Em paralelo, há a adaptação à dieta low-carb (LCHF), que deixa uma sensação forte de fadiga no corpo durante os treinos pelo menos até que ele esteja mais fluente no uso primário de gordura (ao invés de carboidratos) como fonte primária de energia.

Pois bem: se essa semana tem uma meta, é deixar o corpo zerado. Devo ter algo como 6 horas para fazer até o domingo, incluindo alguma intensidade e um longuinho de apenas 2h no sábado. Perfeito: preciso sair da semana melhor adaptado dieteticamente e com dores na musculatura, principalmente nas pernas, entre levíssimas e inexistentes.

Não tenho exatamente um plano para isso. A bem da verdade, o que estou agora é sentindo os efeitos de um plano desenhado há pouco menos de um mês, quando a exaustão tomou conta de todo o meu organismo e deixou claro que o caminho que estava seguindo estava “errado”.

A hora agora será justamente de começar a sentir os efeitos dos ajustes desenhados, torcendo para que eles tenham sido efetivos.

Checkpoint: Em plena adaptação à LCHF

De toda a semana, eu diria que o mais significativo foi, sem dúvidas, os sintomas de adaptação à “Low Carb, High Fat” (LCHF). De acordo com muitos artigos e relatos que li, há uma fase mais aguda de queda de performance quando o corpo ainda está aprendendo a lidar com o uso de gordura (ao invés de carboidrato) como fonte primária de energia.

Apesar da intensidade de treinos que tive nos últimos meses, nada mais explicaria o resultados dos últimos dias. Hoje, por exemplo, saí para 1h de corrida apenas levemente abaixo dos 6min/km e, já antes da metade, comecei a sentir uma fadiga forte nas pernas. O curioso é que não tive nada nem remotamente semelhante a fome ou àquela sensação de “falta de combustível”. O tanque estava cheio – ele apenas não respondia direito.

Ainda bem que existe a Internet: poucos recursos permitiram uma troca de experiências com outras pessoas ao ponto de nos fazer entender melhor sintomas como estes, algo que, em outros casos, me deixaria em pânico dada a proximidade da Ultra Estrada Real.

Falando nela, há apenas 2 semanas de preparo final. É difícil prever se estarei ou não plenamente adaptado até lá e, embora soubesse desse risco antes de mudar a dieta, sigo confiante de que tudo dará certo. Pela minha ótica, afinal, basta persistir mantendo o ritmo planejado de treino, garantindo uma ingestão realmente baixa de carboidratos (algo entre 30g e 50g/ dia) e interpretando as coisas mais estranhas como adaptação.

Do ponto de vista de gráfico de treino, o meu começa a parecer uma piada quando comparado ao do ano passado. Mas tudo bem: ainda é cedo para arriscar qualquer palpite sobre ele considerando que a prova alfa mesmo, a Comrades, está ainda a mais de 2 meses de distância.

Pelo menos o pace médio voltou a um nível mais desejável.

Sigamos treinando.

Screen Shot 2015-03-22 at 4.51.42 PM

Screen Shot 2015-03-22 at 4.52.20 PM

Semana com improviso e cautela

Estou cauteloso essa semana.

Não só por ter me excedido no sábado, lá no Rio, mas porque a Ultra Estrada Real está logo ali.

Resultado: qualquer incômodo minimamente mais preocupante e eu já desacelero ou paro. Foi o que fiz na última quarta, quando simplesmente cancelei um treino de uma hora por estar com dores demais nas coxas. Melhoraram.

Ontem saí para 1h40. Mais difíceis no começo, com as articulações tesas, tensas. Mas depois acabei me soltando, fazendo o corpo “fluir” melhor. 

Era o que eu precisava, nem que por puro fator motivacional.

Amanhã meu longão será bem mais curto que a média: devo ficar na casa das 2h. Domingo, mas 1 para fechar.

E assim vamos caminhando para a última semana de treino antes da UER.

Estou curioso para saber se realmente consegui me recuperar do excesso de treinos de intensidade do passado recente.

  

Ultra Estrada Real: Inscrições encerradas e contagem regressiva iniciada!

Pois é.

Agora somos, oficialmente, 105 inscritos para fazer a Ultra Estrada Real no sábado anterior à Páscoa, 4 de abril. A lista completa de participantes está aqui e, a partir de agora, começamos a contagem regressiva para a largada!

Boa sorte a todos os que participarão nesse evento que, pessoalmente, considero incrível pelas suas características: marcado 100% via redes sociais e blogs, gratuito, sem nenhum tipo de sofisticação mas que cruzará uma rota histórica, de beleza indescritível e ideal para esse grupo multifacetado de corredores de todos os cantos do Brasil.

Nos vemos às 5:30 da manhã em Santa Bárbara!

IMG_6501

 

 

Checkpoint: Exagero, mas com uma excelente desculpa

Sim: essa semana era apenas para retomar, de leve, o aumento de volume mantendo a velocidade. Era para preservar o corpo, deixá-lo em um estado melhor que o que estava há poucas semanas.

Mas aí eu vim pro Rio.

Impossível chegar em uma cidade incrível como essa, com paisagens deslumbrantes, contando ainda com um guia Unogwaja e não exagerar.

Pois é: exagerei. No longão de ontem, que era para ser de 3 horas no plano, beirei as 4 com 1.500 metros de altimetria. Acordei, claro, cansado. Fui para um regenerativo na Lagoa, perto de onde estou e que deveria ser de 30 minutos, e acabei fazendo 50 a um ritmo bem maior que o planejado.

Fazer o que? Pregar vistas inesquecíveis na memória é um dos principais motivos pelos quais corremos. Assim sendo, não tenho dúvidas de que fui além do que deveria – mas conto com o acúmulo extra em motivação para compensar a fadiga.

Enquanto isso, os gráficos me punem: o comparativo com o treino de Comrades do ano passado, abaixo, já mostra perda de ritmo:

Screen Shot 2015-03-15 at 2.20.27 PM

A planilha com a evolução desse ano, no entanto, mostra um crescimento bem vindo nos indicadores mais importantes:

Screen Shot 2015-03-15 at 2.20.49 PM

Bom: a UER vem em menos de 20 dias. Agora preciso me cuidar mais do que nunca para estar preparado.

Enquanto isso, aproveitarei o restante do dia para me embebedar nas lembranças que levarei dessa cidade de volta para casa.

Ultra Estrada Real: Inscrições até o domingo!

Sim, há manifestação para todo lado de hoje até domingo, o que deve ocupar pauta, noticiários, acirrar ânimos em redes sociais etc. E longe de mim querer que a UER dispute espaço com eventuais mudanças de rumo no país como um todo… Mas é sempre bom lembrar que as inscrições para a Ultra ficam abertas apenas até este domingo, dia 15!

Depois disso, fecharemos a lista e passaremos ao Instituto Estrada Real, que providenciará os certificados, e para a organização dos pontos de apoio.

Ou seja: quer correr em um percurso histórico, lindo, cercado de amigos em um espírito de confraternização e paixão total pelo esporte? Então a hora é essa.

Link de inscrição: https://rumoastrilhas.com/ultraestradareal/formulario-de-inscricao/

Sobre a Ultra: https://rumoastrilhas.com/ultraestradareal/sobre-a-ultra/

Sobre o percurso: https://rumoastrilhas.com/ultraestradareal/o-percurso/

Fotos do percurso: https://rumoastrilhas.com/ultraestradareal/fotos-do-percurso/

Informações importantes: https://rumoastrilhas.com/ultraestradareal/informacoes-importantissimas/

Largada, chegada e pontos no percurso: https://rumoastrilhas.com/ultraestradareal/largada-chegada-e-pontos-no-percurso/

Infos sobre o troféu de lembrança: https://rumoastrilhas.com/2015/03/02/ultra-estrada-real-teremos-um-trofeu-para-os-concluintes/

IMG_6501

 

 

Mudando a estratégia: a corrida pela recuperação

Enquanto a organização da Ultra Estrada Real vai demandando mais tempo, um outro desafio, inesperado, acabou se abatendo sobre mim. Aparentemente, acabei exagerando na intensidade do treino para as duas ultras que estão por vir, UER e Comrades.

Isso ficou claro depois do sofrível longão do sábado passado, que abriu portas para exaustão física completa, perda de motivação e todo aquele catatau de coisas que acontecem quando se atinge o pico cedo demais. No meu caso, com mais de um mês de antecedência.

Bom… a solução, claro, foi mudar toda a estratégia final para “enganar” o corpo. Essa semana foi uma espécie de tapering sem prova no final: diminui o volume enormemente e ainda caí o pace. Contando amanhã, terei fechado 4 treinos levíssimos, como me preparando para uma prova iminente (que, claro, não virá tão cedo).

Os primeiros treinos, na quarta e na quinta, foram ruins: cansado, me arrastei pelo percurso definido olhando o relógio teimosamente como se ele estivesse tentando me enganar. E isso, diga-se de passagem, para um trote de 45 minutos e outro de 1h30! 

Ainda assim, persisti: se tirasse mais dias, acabaria gerando mais danos do que benefícios.

Hoje, sob um clima mais ameno e com tempo nublado, saí para 1h45 pela rua. Fiz a trilha do Ibirapuera, Faria Lima, Juscelino, Parque do Povo e o retão até a minha casa. Foi quando as coisas começaram a melhorar: lá para a metade da corrida, comecei a perceber que não estava mais percebendo o tempo passar e que os pés estavam entrando em uma velocidade de cruzeiro mais fluida, gostosa. Bom sinal.

A estratégia nova, portando, é trocar aquela súbita queda de volume na semana anterior a uma prova, que costuma descansar mais o corpo e prepará-lo para o que estiver por vir, pelo inverso: um crescimento constante no volume culminando com o dia da largada.

Ou seja: agora é reconstruir o volume lenta e firmemente, encarando o 4 de abril como o topo de um primeiro lance de escadas. É possível que não dê mais tempo de chegar lá descansado – mas a nova meta é chegar preparado, motivado e energizado. Pelo menos esse é o plano!



Postos de apoio para a Ultra Estrada Real

Estamos fazendo um esforço grande aqui, entre os corredores, para colocar gente nos postos de apoio durante o período de corrida. Há, no entanto, um pequeno problema: na medida em que o percurso vai chegando ao final, os tempos previstos para os corredores chegarem em cada posto de apoio é maior – o que dificulta o “gerenciamento” dos locais, por assim dizer.

Exemplificando:

O primeiro posto de apoio, em Catas Altas, fica a apenas 22km de distância da largada. A esposa do Raoni ficará no local entre as 7:00 e as 11:00, cuidando do local.

Na medida em que o tempo passa, os corredores vão naturalmente se distanciando uns dos outros – o que significa que a previsão para a chegada em Ouro Preto, por exemplo, pode variar entre 14:30 e 22:00. Nesse caso, é a Luciana, esposa do David Lopes, que cuidará do local – mas dificilmente ela conseguirá ficar sozinha por tanto tempo.

Isso significa que devemos encurtar os períodos de presença de equipe nos postos de apoio ao longo dos próximos dias, postando-os aqui no blog.

Isso trará, por exemplo, situações como a “abertura” de um posto de apoio de Santa Rita Durão às 11:00 e o “fechamento” às 14:00. E no caso de corredores mais rápidos, que chegarão, por exemplo, às 10?

No caso deles, não haverá posto de apoio, sendo que deverão se abastecer na própria cidade (utilizando o comércio local para isso).

Sabemos que não é o mundo ideal – mas vale sempre lembrar que essa ultra é independente, e não uma prova oficial, sendo que os pontos de apoio ao longo do percurso sempre foram colocados como possíveis, e não certos.

Espero que todos compreendam :-)

Novidades serão postadas em breve!

aidstation

Listas de interessados em vans para a Ultra Estrada Real

Ontem à noite, aqui em Sampa, fizemos uma reunião com alguns dos presentes na Ultra para levantar pontos importantes da organização.

De maneira geral, eles incluem:

  1. Vans de SP para Ouro Preto
  2. Vans de Ouro Preto até Santa Bárbara no dia da largada
  3. Delimitações mais precisas para os postos de apoio com voluntários
  4. Vans durante o percurso, transportando os mantimentos de um local para outro

Vamos endereçar cada um desses itens nos próximos posts – mas, hoje, queria me concentrar nos primeiros dois.

Como não temos como saber o que cada um dos quase 90 corredores tem de organização própria, estamos montando duas listas diferentes. A ideia é que quem precisar dos serviços as preencha para que consigamos quantificar e negociar vans (ou ônibus, dependendo do volume) para todos. Ainda não sabemos os valores, claro, pois isso depende do número de interessados.

Assim, peço que todos os que quiserem preencham até esta sexta, 06/03, uma ou ambas as planilhas abaixo. Depois disso entraremos em contato com todos para organizar detalhes e passar os valores individuais ok?

Lista de corredores de SP que precisam de transporte de São Paulo até Ouro Preto:

Lista de corredores que precisam de transporte de Ouro Preto (ou cidades do caminho) até a largada, em Santa Bárbara:

Ultra Estrada Real: Teremos um troféu para os concluintes!

Pois é. Um dos corredores, o André Zumzum, organizador da ultra Caminhos de Rosa, foi atrás de algo para que todos pudéssemos guardar como lembrança da prova. E olha só o que ele conseguiu: uma réplica do marco da Estrada Real em pedra sabão!

Vejam o nosso “trofeu” na imagem abaixo:

trofeu_uer

Ainda organizaremos a logística da entrega em si, que será feita apenas na chegada, lá em Ouro Preto – mas pelo menos o mais importante está já garantido.

Como se trata de uma produção adicional e como toda a corrida será gratuita, haverá um custo de R$ 20,00 para quem quiser levar consigo essa lembrança. O procedimento é bem simples: basta ir ao link

http://caminhosderosa.com.br/plus/modulos/conteudo/?tac=trofeu

 , no próprio site do Caminhos de Rosa, e fazer a compra online.

Para deixar claro: isso tudo é opcional: ninguém é obrigado a comprar o trofeu para correr. Mas quem quiser, claro, precisa fazê-lo até a data limite de 15/03 para que o André tenha tempo de coordenar a logística.