100 milhas em setembro?

No ano passado, acompanhei os posts do Paulo Penna pelas 100 milhas que percorreu no caminho de Sabarabuçu, na Estrada Real. Confesso que achei sensacional, tanto o local da prova – a mágica Estrada Real – quanto as experiências que ele relatou. 

Ontem à noite vi um outro post dele com um relato diferente. Comentei elogiando o texto do Paulo – e recebi dele a notícia de que a edição deste ano aconteceria no dia 3 de setembro. 

Pois é. 100 milhas. 100 milhas? 

Essa distância, última das clássicas distâncias de ultras, está sem dúvidas nos meus planos. Mas estava ainda tão distante que, nem em sonho, imaginei corrê-las ainda este ano. 

E ainda não me decidi: além do desafio há uma questão importante de logística, pois precisaria estar de volta no dia 6, aniversário da minha filha e que jamais perderia. 

Mas aquela coceira da ansiedade começou. Fiquei extremamente empolgado: não haveria lugar melhor no Brasil para eu inaugurar essa distância. 

Agora é pensar mais. 

Quem sabe? 

  

Plano Estrada Real: Opção de Rota 3 (Caminho de Sabarabuçu)

Terceira opção: Caminho de Sabarabuçu.

No geral, é o mais curto e o mais técnico dos trechos: seus 160km incluem algumas subidas difíceis, mas compensadas por vistas absolutamente deslumbrantes.

Esse caminho divide as cidades de Cocais e Glaura e tem como principal ponto fraco uma distância maior entre povoados, o que dificulta eventuais necessidades de apoio.

Por conta disso, escolhi o trecho que parte de Glaura e chega em Sabará, somando CCCCCC

Os trechos incluem::

  1. Glaura > Acuruí (K20)
  2. Acuruí > Rio Acima (K44, somando 24km de trecho)
  3. Rio Acima > Honório Bicalho (K54, somando 10km de trecho)
  4. Honório Bicalho > Raposos (K67, somando 13km de trecho)
  5. Raposos > Sabará (K79, somando 12km de trecho)

A maior dificuldade fica no percurso entre Honório Bicalho e Raposos, com duas subidas bem tensas e uma média de inclinação de 14%. Ou seja: a distância é a mesma que o trecho 1 – mas a dificuldade certamente é maior.

Perfis altimétricos abaixo:

Screen Shot 2014-10-28 at 5.45.36 PM

Screen Shot 2014-10-28 at 5.48.01 PM

Screen Shot 2014-10-28 at 5.48.17 PM

Screen Shot 2014-10-28 at 5.48.37 PM

Dentre os atrativos, os destaques ficam por conta de:

Dezenas de cachoeiras espalhadas pelo percurso
Vistas no mínimo impactantes
Dificuldade de orientação após o cruzamento de um rio no percurso entre Honório Bicalho e Raposos
Passagem por arraiais antigos, como o Arraial Velho de Sabará, fundado pelo bandeirante Borba Gato

Mapas completos e planilhas abaixo:

Fotos abaixo:

0a9cadffacd5daa10c6bfd8b4a147946

1d1ae05a207e9171c617292a955049b5

2c5d42c0e3597efb34638763d423e232

3fa78ffdec774861c005ce297ca9f607

8c54d976bd14bdeb5e752be2a51967bb

7646178b9331412ac4071c1e4c5af195

dbbc794e2ea0dfabfc14f3f584db7148

Atualização de 13/11/2014: Percurso e informações gerais estão já plenamente organizados em uma página única: www.rumoastrilhas.com/ultraestradareal . Para saber mais e se inscrever, clique aqui.

Esgotado

Dentre todas as palavras, essa talvez seja a que melhor definiu essa semana: esgotado.

Depois de um ritmo que incluiu Comrades em junho, Indomit Bombinhas em agosto, Duro Ultra Trail em setembro e a infernal Maratona de SP em outubro, foi como se o meu tanque tivesse se esvaziado.

Nem sair para a rua hoje eu consegui. Essa semana inteira teve apenas 3 treinos – e ainda assim difíceis, muito mais cansativos do que se esperaria para um pace lento e uma altimetria praticamente nula.

Batendo um papo com meu treinador, a conclusão foi óbvia: preciso tirar o resto desse mês de folga. Não parando com os treinos, claro – mas pelo menos diminuindo o ritmo enquanto, em paralelo, busco uma nova meta. Metas, afinal, são os melhores geradores de combustível motivacional do mundo.

Nesse ponto estou já bem satisfeito: a ultra improvisada na Estrada Real está me parecendo uma ideia cada vez melhor. Ontem, inclusive, o Renato Mourão mandou um comentário aqui no blog me convidando para um grupo de corrida que já planeja uma ultra pelo Caminho de Sabarabuçu, de 160km. Ainda estou fazendo as contas – são quilômetros demais e tempo de menos uma vez que eles largam no final de novembro. Mas pelo menos será uma belíssima referência.

Seguirei planejando ainda nessa próxima semana. Já organizei alguns caminhos interessantes aqui, baixei mapas e analisei altimetrias. Vou postando novidades por aqui.

Enquanto isso, vou me recuperando da intensidade dos últimos meses.

Screen Shot 2014-10-26 at 2.58.30 PM