Filme: Leve e rápido

Basta apenas dizer que é um filme da Salomon TV – com direito a lendas como Kilian Jornet, Marino Giacometti, Bruno Brunod e Fabio Meraldi exibindo o que sabem fazer de melhor: skyrunning.

Quer se inspirar? Veja o filme:

Como descer nas trilhas

Resumão desses vídeos:

  1. Alternar de um lado para outro (ao invés de seguir em linha reta) para usar o peso do corpo como forma de se equilibrar
  2. Dar passos minúsculos, permitindo maior controle em caso de escorregões e pisando de forma mais leve no chão
  3. Tocar o solo da maneira mais “plana” possível
  4. Usar a musculatura da coxa nas passadas para melhorar o controle de descida
  5. Evitar tocar o solo sobre pedras (o que é meio óbvio, diga-se de passagem)
  6. Sempre ter em mente o passo seguinte, não o atual
  7. Abrir os braços, deixando-os soltos para dar mais equilíbrio ao tronco
  8. Arriscar alguns saltos quando a gravidade parecer maior que o controle sobre o corpo

Mini-aula:


Vendo o mestre dos mestres, Kilian Jornet, em câmera lenta:

Sky Running, por Emelie Forsberg

Um dos maiores ícones das corridas em montanha é Emelie Forsberg, uma sueca de 27 anos que colecionou títulos que vão do recorde feminino na Ultra Trail de Mont Blanc até o diversos campeonatos de ultra sky racing.

Mas, diferentemente de muitos esportes, esse tem um tipo de conexão diferente entre o meio e o atleta – algo que inclui um tipo de simbiose absolutamente impressionante. Basta ver a Emelie (ou a sua “versão masculina”, Kilian Jornet) falarem sobre o ato de correr em montanhas.

Recentemente, a CNN fez uma matéria curta sobre ela que vale a pena conferir. Veja abaixo:

http://edition.cnn.com/video/api/embed.html#/video/sports/2014/10/08/spc-human-hero-emelie-forsberg.cnn

Summits of My Life, com Kilian Jornet

Desde que comecei a percorrer distâncias mais longas, passei também a buscar filmes e conteúdos em geral sobre esse esporte que, na prática, considero uma espécie de união entre corrida e algo zen como o Yoga.

E há diversos espalhados pela Web para basicamente todos os gostos: documentários sobre o Grand Slam de corridas no deserto, sobre Western States, sobre Bad Water e assim por diante.

Um deles, no entanto, me chamou a atenção: uma série protagonizada pelo Kilian Jornet que, ao invés de corridas oficiais, fala sobre o ato de correrem algumas das mais incríveis montanhas do mundo. O primeiro filme da série já está no ar e disponível no Youtube. Vale conferir:

Para a lista de desejos: Skyrace em Tromso

Ontem, enquanto corria e ouvia o podcast TalkUltra, descobri que dois dos maiores ícones do cenário das ultras, Kilian Jornet e Emelie Forsberg, organizaram uma prova do circuito Skyrunning para este setembro.

Pois é: como está muito em cima e o local, Tromsø (Noruega), não é exatamente ali na esquina, não terei como participar. Mas a vontade sobrou.

Serão duas provas, uma maratona (com 4,3 mil metros de elevação) e outra de 19K (com 1,6 mil metros). Ambas acontecerão no continente, bem perto da ilha em que fica Tromso, e contarão com aquelas paisagens nórdicas absolutamente deslumbrantes – como na foto abaixo.

A prova é tão única, na verdade, que fiquei na dúvida entre colocar este post na categoria “provas” ou simplesmente “inspiração”. Afinal, se tem um motivo que corremos é para poder testemunhar as belezas do mundo… não?

Para quem se interessar, o link é http://tromsoskyrace.com/

#BoasTrilhas

07-rett-og-slett-vakkert-terreng-lett-c3a5-lc3b8pe-her

Eu no TalkUltra :-)

Já faz tempo que o TalkUltra faz parte da minha vida como corredor: além de turbinar os meus longões (cada episódio do podcast dura de 3 a 4 horas), ele acaba permitindo um mergulho no universo de alguns dos meus principais ídolos no mundo das ultras (como Kilian Jornet, Emelie Forsberg, Karl Meltzer, Anna Frost etc.

Não foi pouca surpresa então baixar o episódio desta quinzena e ver uma entrevista comigo, gravada durante uma sessão de bate-papo com o Ian (meu treinador), sobre correr Comrades com tênis minimalista! E a entrevista em si não foi pouca coisa – ficamos quase uma hora conversando sobre o assunto, o que acabou dando até para mim mesmo uma sensação mais clara de toda a transição que fiz de cenários

Bom… para quem quiser ouvir, estou colocando o link aqui no post: http://www.marathontalk.com/talk_ultra/episode_64_smith_batchen_perkins_almeida_rasmussen.php

Recomendo também, independente disso, assinar o podcast (desde que fale inglês). É absolutamente sensacional.

Screen Shot 2014-06-27 at 2.07.06 PM

 

Dicas dos mestres para enfrentar as trilhas à noite

Quando se está correndo em ambientes urbanos, a noite é apenas um espaço no tempo: há iluminação pública, luzes de carros, semáforos e todo um aparato de iluminação artificial que faz do horário algo absolutamente irrelevante.

Nas trilhas, no entanto, tudo muda. Com montanhas abaixo, céu acima e nada dos lados, você acaba dependendo muito mais de lanternas presas à cabeça e da adaptação dos seus olhos e mente a elas.

Não sei ainda, ao certo, o quanto precisarei de lanternas no DUT – mas vi que elas fazem parte da lista de itens obrigatórios. Assim sendo, não custa nada buscar dicas com mestres como Fernanda Maciel, Seb Chaigneau, Jared Campbell e Kilian Jornet. Certo?