Vídeo: Documentário sobre o Cruce 2016

Se alguém aí estiver pensando em ir ao Cruce no ano que vem, veja os vídeos abaixo.

É uma das experiências mais sensacionais que existe.

 

Vídeo: Dia 2 do Cruce

Faltam minutos para eu largar – mas pelo menos deu para conferir o vídeo do que será meu segundo dia, gravado nos calcanhares dos que começaram a ultra anteontem.

O terceiro, ao que parece – e que também é considerado o mais bonito por ser rodado na alta montanha – ficará como um mistério muito bem vindo para mim.

E vambora que os Andes aguardam!

El Cruce: O que é fornecido e o que precisamos levar de equipamentos obrigatórios

O site deixa dúvidas: dependendo do idioma, as informações sobre o que devemos levar e o que será fornecido pela organização são inclusive contraditórias. Mas nada que não seja facilmente resolvido: eles mesmos fazem alguns plantões no Facebook onde se pode perguntar o que quiser e ter a resposta na hora. Aliás, a organização do El Cruce, ao menos até agora, é muito perto da perfeição. 

Bom… vamos então a uma atualização de equipamentos obrigatórios:

  • Camiseta de prova: Fornecida pela organização
  • Número de competidor e chip: Fornecidos pela organização
  • Mochila de hidratação: Deve ser levado
  • Casaco impermeável: Deve ser levado
  • Camiseta manga longa (ou remera): Fornecida pela organização
  • Polar (jaqueta): Fornecida pela organização
  • Gorro: Deve ser levado
  • Mochila resistente à água para os acampamentos: Fornecida pela organização
  • Cobertor de sobrevivência: Fornecido pela organização
  • Bivac ou vivisac: Deve ser levado

Por essa lista, me resta apenas o gorro e um casaco impermeável decente. No mais, agora é fazer um checklist dos itens recomendados.

    

El Cruce: Equipamentos obrigatórios e o Bivac

A lista de equipamentos obrigatórios do Cruce é um pouco diferente do que estou habituado. Faz sentido: será a minha primeira prova em etapas, com dois acampamentos nos três dias. 

O ponto positivo é que a prova não é totalmente autosuficiente como a Marathon de Sables: muita coisa (como comida para os três dias) será providenciada pela organização. 

Ainda assim, a lista de equipamentos inclui: 

Itens obrigatórios:

  • Camiseta de prova (fornecida pela organização)
  • Número de competidor e chip (fornecidos pela organização)
  • Mochila de hidratação
  • Casaco impermeável
  • Camiseta de manga longa
  • Polar ou micro polar (que deduzo que seja um GPS tipo Garmin ou Suunto)
  • Gorro
  • Cobertor de sobrevivência
  • Manta de sobrevivência
  • Bivac ou vivisac

Itens recomendados: 

  • Trekking poles
  • Talheres
  • Headlamp
  • Toalha
  • Saco de dormir
  • Colchão inflável (que não pretendo levar)

Não vou mentir que alguns equipamentos ainda são um mistério para mim – como a diferença de cobertor e manta de emergência. Mas, com o tempo, vou decifrando cada um deles. 

Também estava na dúvida quanto ao bivac ou vivisac ou bivouac: não fazia a mais pálida ideia do que seria esse treco. Descobri: uma espécie de saco de dormir ultra portátil e térmico para ser utilizado em casos de emergência na montanha. 

Minha primeira dúvida: como diabos carregarei isso na mochila de hidratação? A segunda: quanto vou gastar com esse treco? 

Ainda bem que as duas respostas foram positivas. 

Fuçando na Web, encontrei um “Emergency Bivvy” da marca SOL. Se é maravilhoso, não sei: mas é minúsculo, como pode ser visto na imagem abaixo, e barato. Comprei diretamente na Amazon e, incluindo impostos e o frete até o Brasil, ele me custou US$ 44. 

Chegou em menos de uma semana! 

Com isso, o primeiro item misterioso já está devidamente adquirido. 

  

  

   
 

El Cruce: Altimetria dos 3 dias de prova

Ainda estamos em novembro mas, a esta altura, já estou contando os dias para o Cruce. Para quem curte montanhas, afinal, o prospecto de uma prova longa atravessando os Andes com direito a acampar sob as estrelas na fronteira do Chile com a Argentina é, no mínimo, delicioso. 

Vamos, então, ao percurso. O mapa ainda não está disponibilizado no site, mas a altimetria está. Ótimo: já é uma chance de eu me familiarizar e cozinhar a ansiedade que já corre solta nas veias. 

Os dados estão abaixo. Agora é olhar para eles e imaginar aquela vista incrível de uma das regiões mais maravilhosas do planeta. 

Etapa 1: 

  • DISTANCIA: 38 KM
  • ALTURA MAXIMA: 1123m
  • ALTURA MINIMAL: 647m
  • DESNIVEL ASCENDENTE: 1599m
  • DESNIVEL DESCENDENTE: 1738m
  • DESNIVEL ACUMULADO: 3378m  


Etapa 2:

  • DISTANCIA: 30 KM
  • ALTURA MAXIMA: 1104m 
  • ALTURA MINIMA: 644m 
  • DESNIVEL ASCENDENTE: 1145m 
  • DESNIVEL DESCENDENTE: 756m
  • DESNIVEL ACUMULADO: 1901m


Etapa 3:

  • DISTANCIA: 26 KM 
  • ALTURA MAXIMA: 1843m 
  • ALTURA MINIMA: 644m 
  • DESNIVEL ASCENDENTE: 1935 
  • DESNIVEL DESCENDENTE: 2351m
  • DESNIVEL ACUMULADO: 4286m