Checkpoint 2: Mantendo o “mojo” e assumindo as rédeas do treinamento

Rumo a Comrades 2018

No ano passado, essa semana foi o pico do meu treinamento. Incluiu uma ultra de longão (se não me falha a memória, de 50 ou 60K) e uma série de treinos que bateu nos 100km rodados.

Claro: era a minha primeira Comrades. Na verdade, era a minha primeira ultra acima dos 56K, o que significava uma falta de experiência grande.

De lá até cá já foram inúmeras ultras em distâncias diferentes e, claro, a experiência acabou me inserindo em uma espécie de zona de conforto positiva. Já sei melhor o que tenho que fazer no treinamento, o que evitar e como interpretar os sinais do corpo.

Vim de uma ultra de quase 90K há menos de um mês: exagerar, agora, seria burrice. O que fiz então? Mantive a semana posterior baixa, na casa dos 40K, e logo depois subi para 80 (semana passada) e 95 (nessa). Tenho inserido mais subidas…

Ver o post original 202 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s